A Importância da Vitamina D

A Importância da Vitamina D | Endocard News

O Endocard News de hoje, bate um papo com  Dra Taciana, médica especialista em endocrinologia e metabologia na Endocard Medicina Diagnóstica, e a conversa de hoje é sobre a Vitamina D. O que é, onde encontrá-la e muito mais. Confira:

O que é vitamina D?

A vitamina D é um hormônio muito importante para os seres humanos.

Quais as ações dessa vitamina em nosso corpo?

Além das ações clássicas que são relacionadas ao metabolismo ósseo, auxiliando no tratamento de osteoporose, osteomalácia, raquitismo, bem como na prevenção de quedas e fraturas em idosos, há as ações não clássicas.

Dentre essas, descobertas nas últimas décadas, há o importante papel na imunidade, na prevenção de alguns cânceres (especialmente de mama e colo retal), bem como a prevenção de diabetes mellitus tipo 2 e das doenças cardiovasculares.

Como se inicia a produção de vitamina D?

A produção dessa vitamina começa na pele sob o estímulo dos raios solares. Portanto, para manter os valores adequados, o ideal seria exposição solar diária, entre 11 e 15 horas, sem protetor solar, mas como nem sempre isso é possível ou mesmo viável (risco de câncer de pele), a incidência de valores anormais de vitamina D tem aumentado muito.

Quais os valores de referência para normalidade de vitamina D?

Os valores de normalidade podem variar de acordo com populações específicas, mas a maioria dos estudiosos considera como normais, valores de vitamina D (25 OH vitamina D), maiores ou iguais a 30ng/dL. Valores entre 20 e 30ng/dL são insuficientes e menores que 20ng/dL caracterizam a deficiência.

Quais os grupos de risco para insuficiência ou deficiência de vitamina D?

Os principais grupos de risco para deficiência de vitamina D são: idosos; obesos; crianças até cinco anos; gestantes e lactantes; pacientes de risco para desenvolvimento de osteoporose; pacientes que usam medicações anticonvulsivantes, como glicocorticoides, entre outros fármacos;

Pacientes com doenças renais crônicas; pacientes com problemas de absorção intestinal ou que fizeram cirurgia bariátrica (cirurgia para tratamento de obesidade); pacientes que não podem tomar sol (portadores de câncer de pele, doenças reumatológicas, dentre outros);

Pacientes com baixa exposição solar (moradores de asilo que ficam confinados ou pacientes que fazem uso de roupas religiosas, dentre outros) e pacientes com pele escura (que tem mais dificuldade de absorção).

Como tratar os valores insuficientes de vitamina D?

O tratamento deve ser iniciado com doses maiores, principalmente nos casos de deficiência, ou seja, valores menores que 20ng/dL. A dose de ataque pode ser realizada com 7.000 unidades ao dia ou 50.000 unidades uma vez por semana, por dois meses, seguida por dose de manutenção de 1.000 unidades ao dia ou 7.000 unidades, uma vez por semana.

A exposição solar deve ser sempre estimulada, desde que não se esqueça das consequências de exposições exageradas, que podem lesar a pele com queimaduras, ou aumentar a incidência de câncer de pele no futuro.

Importante ainda, esclarecer que, nenhum alimento é eficaz na reposição adequada da vitamina D.

Muito obrigado Dra. Taciana, pelos esclarecimentos de grande importância e serventia, e também pela participação no Endocard News!!!
Dra. Taciana Mara Rezende Fortes Viégas, faz parte do corpo clínico Endocard. Agendem já sua consulta!

Endocard News – Porque saúde é assunto nosso!
Dra. Taciana Mara Rezende Fortes Viégas
Especialista e Mestre em Endocrinologia e Metabologia pela USP
Professora do Departamento de Medicina da UNITAU
CRM nº 78891

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.